in

Adjetivos: entenda o que são, suas classificações e flexões

Adjetivos fazem parte dos itens das classes gramaticais.

jovem com cadernos estudando adjetivos

O tema “adjetivos” lhe acompanha desde o Ensino Fundamental, porém ainda desperta dúvidas quanto às suas flexões e classificações? Então calma, é possível entender o conceito e as suas aplicações nas orações antes de fazer o próximo concurso, vestibular ou Enem. Por isso, vamos lá?

Resumo

O adjetivo nada mais é do que um dos 10 itens das classes gramaticais. Portanto, além do adjetivo, temos: interjeição, verbo, advérbio, substantivo, pronome, artigo, preposição, numeral e conjunção. 

Nesse sentido os adjetivos são termos usados dentro de uma oração que conferem características aos substantivos. Desse modo eles atribuem uma qualidade, estado ou um aspecto do termo a que se refere. 

Por fim, o sufixo “ad” quer dizer “ao lado”. Em suma, a palavra sempre dependerá de outra, portanto, para fazer sentido.  

Seguindo esse raciocínio, o interessante é que o adjetivo pode ser mudado de posição na oração. Só para exemplificar quando essa situação acontece, muda-se o sentido da frase. Assim, é como no exemplo: homem grande / grande homem. Percebe a diferença de sentido atribuída ao adjetivo “grande”?

Mas, em outros casos, um substantivo pode ser interpretado como um adjetivo, dependendo do contexto da oração. Veja o exemplo: 

O urso da floresta / Meu amigo é um urso.

Ou seja, notou como o termo “urso” apresenta-se como substantivo na primeira oração e como adjetivo na segunda?

Classificações

Sendo assim há quatro classificações diferentes, confira:

  • primitivos: radicais que apontam características – pequeno.
  • derivados: formados a partir de outros radicais – pequenino.
  • simples: têm apenas um radical – brasileiro.
  • compostos: apresentam dois ou mais radicais – luso-brasileiro.

Nestes dois últimos exemplos, falamos de adjetivos pátrios, que são aqueles que caracterizam as pessoas nascidas na mesma cidade, estado ou país. Confira os exemplos: carioca, baiano, curitibano. 

Flexões dos adjetivos

Primeiramente, os termos em estudo flexionam-se para acompanhar o substantivo, portanto, ao contrário dos advérbios, os adjetivos são palavras variáveis. As flexões, desse modo, se dão em gênero, número e grau. 

Gênero:  acompanham o gênero masculino (terminado em O) e feminino (terminado em A). 

Note: Um homem charmoso / Uma mulher charmosa. 

Número: acompanham os substantivos, ficando no singular ou no plural. Na maioria dos casos, utiliza-se a terminação em S.

Veja: casa bonita / casas bonitas.

Grau: o termo flexiona-se para valorizar as características do substantivo ou compará-las. Pode ser, portanto, uma flexão em grau superlativo ou comparativo

Como em: atenciosíssimo (superlativo absoluto sintético) / tão engraçado quanto (comparativo de igualdade). 

Detalhes da flexão por gênero

Ainda no que se refere à flexão dos termos, ao tratarmos de flexão por gênero, temos as denominações:

  • biformes: com uma forma para o masculino e outra para o feminino;
  • uniformes: uma única forma para os dois sexos. 

Veja: menino bonito / menina bonita (biforme) e médico especialista e médica especialista (uniforme).

Flexão por número: plural de termos compostos 

No que tange à flexão por número, na formação do plural, em análise morfológica, um dos temas que causam mais questionamentos entre os estudantes é o plural de palavras compostas que levam adjetivos em sua formação. 

Dois adjetivos: apenas o segundo elemento vai para o plural.

Verifique: clínica médico-dentária / clínicas médico-dentárias.

Adjetivo e substantivo: são invariáveis.

Exemplificando: tinta amarelo-canário / tintas amarelo-canário.

Tipos de flexões por grau

Já em relação à formação dos adjetivos flexionados em grau, temos as seguintes variações: 

Grau comparativo

Igualdade: O menino é tão esperto quanto o colega.

Superioridade: Seu namorado é mais infiel que o meu. 

Inferioridade: Estamos menos aflitos que eles.

Grau superlativo:

Relativo: intensifica-se uma característica para demonstrar superioridade ou inferioridade. Veja os exemplos:

Superioridade: A minha mãe é a mais brava de todas. 

Inferioridade: Este filme é o menos interessante que assisti. 

Absoluto: transmite a ideia de excesso, podendo ser analítico ou sintético. 

Analítico: conta com um advérbio – Você é muito linda.

Sintético: conta com sufixos – Esse homem é magérrimo. 

Locução adjetiva

Agora que você já entendeu melhor o conceito e as características de flexão dos adjetivos, saiba que também existe o fenômeno da locução adjetiva

Para entendê-la melhor, é importante lembrar que a locução é uma reunião de palavras. Portanto a locução adjetiva é a união de uma preposição e de um substantivo que ganha valor de adjetivo

É o caso de amor de mãe que vira amor materno. Por consequência, “de” é preposição e “mãe” é substantivo. O termo “de mãe” é uma locução adjetiva e o “materno” é um adjetivo. Veja mais exemplos: 

  • de aluno – discente
  • de boi – bovino 
  • de cão – canino 
  • de farinha – farináceo 
  • de fígado – hepático

Dicas para o Enem

Os adjetivos e locuções adjetivas costumam cair no Enem, porém, dentro das perguntas sobre interpretação de textos. A cobrança visa possibilitar ao examinador que o estudante realmente entende o conceito de adjetivo. Portanto, a dica é estudar a morfologia e fazer simulados para se preparar bem para as provas que virão. 

Exercícios resolvidos

Veja a seguir dois exercícios que empregam os conhecimentos sobre adjetivos. 

(Enem, 2012) “eu gostava muito de passeá… saí com as minhas co lgas… brincá na porta di casa di vôlei… andá de patins… bicicleta… quando eu levava um tombo ou outro… eu era a::… a palhaça da turma… ((risos))… eu acho que foi uma das fases mais… assim… gostosas da minha vida foi… essa fase de quinze… dos meus treze aos dezessete anos…

A.P.S, sexo feminino, 38 anos, nível de ensino fundamental, projeto fala goiana, UFG. 2010”.

Um aspecto da composição estrutural que caracteriza o relato pessoal da A.P.S como modalidade falada da língua é:

A) predomínio de linguagem informal entrecortada por pausas.

B) vocabulário regional desconhecido em outras variedades do português.

C) realização do plural conforme as regras da tradição gramatical.

D) ausência de elementos promotores de coesão entre os eventos narrados.

E) presença de frases incompreensíveis a um leitor iniciante.

Gabarito: opção A, pois considera a linguagem coloquial. 

(MPE-PR/UFPA) “Há situações em que o adjetivo muda de sentido, caso seja colocado antes ou depois do substantivo.

Observe:

Lá se vão os pobres meninos

Pelas ruas da cidade.

Meninos pobres,

pelas ruas da cidade rica”.

Qual é o significado da primeira e da segunda ocorrência da palavra “pobres” no trecho acima?

A) humildes/modestos

B) mendigos/sem recursos

C) dignos de pena/improdutivos

D) dignos de compaixão/desprovidos de recursos

E) ingênuos/sem posses

Gabarito: opção D, pois na primeira citação, o adjetivo “pobres” está relacionado a meninos dignos de pena, de misericórdia. Enquanto isso, na segunda citação, o termo “pobres” refere-se propriamente à falta de recursos financeiros.

O que você achou?

Escrito por Redator Especialista em Língua Portuguesa

Redator especialista em Língua Portuguesa.

Caso encontre um erro, violação de direitos autorais ou queira enviar um feedback/sugestão, utilize o e-mail: [email protected] para contato.

Desigualdades matemáticas e suas propriedades

Soldados na primeira guerra mundial

Primeira Guerra Mundial: tudo o que você precisa saber