in

Dos pré-darwinistas para os evolucionistas: as mudanças das espécies

Antes de Charles Darwin, cientistas já buscavam respostas para a origem da humanidade

Embora Charles Darwin tenha sido o principal estudioso das modificações das espécies, antes dele outros estudiosos já propunham experimentos nesta ciência. A esses estudos chamamos de pré-darwinistas.

A teoria de Charles Darwin

Charles Darwin foi um dos estudiosos mais importante para a história da humanidade. Ao longo de sua vida estudou diversos grupos de organismos para comprovar suas ideias e propor a Teoria da Evolução como ficou determinada.

Através da sua Teoria, Darwin estabeleceu que a condição genética dos seres vivos ocorre na natureza através de uma seleção natural. Onde os seres mais adaptados têm maiores chances de sobrevivência em comparação aos não adaptados. Consequentemente deixando um número maior de descendentes e perpetuando sua espécie através dos tempos.

O principal marco dos estudos de Charles Darwin foi o seu livro “A origem das espécies” (1859), uma vez que revolucionou a forma como o mundo compreendia até então a biologia. Além disso, Darwin também deixou outros livros que serviram de referência para diversos estudiosos e para aperfeiçoar os estudos da herança genética dos seres vivos.

No entanto, as descobertas de Darwin não foram as primeiras tentativas de se compreender o universo tão complexo da evolução humana. Antes dele outros estudiosos já buscavam respostas, conforme veremos a seguir.

As primeiras teorias pré-darwinistas

Os estudos envolvendo a evolução humana são muito antigos, sendo que há cerca de 3 mil anos a.C as primeiras civilizações já possuíam ideias em relação a origem dos seres. Podemos elencar aqui os Egípcios, Sumérios e os Babilônios. 

Da mesma forma, muitos filósofos como Aristóteles, Xenófanes e Empédocles, também buscavam essas mesmas respostas e esboçaram especulações em relação ao tema. Foram eles que desenvolveram a primeira ideia das mudanças evolutivas nas espécies, sendo os primeiros pré-darwinistas da história.

De acordo com esses filósofos a existência de fósseis representa a existência de vidas passadas, cuja qual, acreditavam que tivesse sido extinta por algum fenômeno natural.

Porém, naquela época a única resposta aceita em relação a evolução humana  era aquela oriunda da religião, que declarava que Deus era o criador de todas as coisas.

Assim, muitos estudiosos que se aventuraram em busca de outras respostas, foram perseguidos pela igreja. Já que seus estudos eram considerados heresia frente às leis de Deus.

Os primeiros estudos científicos pré-darwinistas

Os primeiros estudos científicos, em relação à teoria da evolução, surgiram com base em observações. Elas constataram que o meio onde os seres vivem propiciam mudanças na herança genética dos animais, deixando de lado a mitologia e as superstições. 

Estátua de Lamarck, estudioso pré-darwinista.
Lamarck propôs a Teoria da Herança Adquirida e a do Uso e Desuso

Em 1809, o francês e biólogo Jean Baptiste de Lamarck criou a primeira explicação completa em relação à evolução. O estudioso propôs em seus estudos duas teorias: a da Herança Adquirida e do Uso e Desuso. Sendo que ambas foram muito importantes para os estudos que surgiram posteriormente.

Teoria da Herança Adquirida

De acordo com os estudos de Lamarck, os seres vivos possuem uma herança de caracteres adquiridos. Em outra palavras, os caracteres que os seres vivos desenvolveram ao longo dos anos foram fruto da pressão ambiental, que lhes conferia novas características em virtude da necessidade de sobrevivência.

Um exemplo simples em que podemos observar essa teoria de Lamarck são as girafas. De acordo com a teoria da herança de caracteres adquiridos, as girafas no princípio não tinham o pescoço comprido, mas em virtude da dificuldade da espécie em alcançar o topo das árvores, elas precisam espichar o pescoço para alcançar cada vez mais alto, e assim aumentando o seu tamanho.

Essa característica assim foi passando de uma geração para outra, até a forma atual deste animal.

Teoria  do uso e desuso

Lamarck também criou a Teoria do Uso e Desuso que, em suma, remete que órgãos pouco utilizados durante a vida do animal, com o passar do tempo vão ficando atrofiados e perdendo suas funções, até deixem de existir.

Em contrapartida os órgãos mais utilizados, ou seja, aqueles essenciais para a sobrevivência da espécie, vão ficando cada vez mais fortalecidos de uma geração para outra. Como é o caso das girafas que citamos anteriormente.

Nas teorias de Lamarck é o meio que seleciona as características e mudanças genéticas dos seres vivos.  Essas teorias foram muito importantes e influenciam os estudos posteriores em relação à evolução das espécies.

O próprio Charles Darwin utilizou Lamarck como referência para seus estudos, inclusive mencionando positivamente o estudiosos em seu primeiro livro sobre o assunto. 

O conceito de Lamarck acerca da evolução dos seres ficou conhecido como transformacionismo, em virtude da sua característica de transformação genética dos indivíduos, como vimos. Porém hoje essa teoria já não faz mais sentido, uma vez que é comprovado que nem toda característica passa de uma geração para outra.

Dicas para o Enem

As teorias evolucionistas e pré-darwinistas, são sempre tema confirmado nas provas do Enem, afinal elas transformaram a forma como entendemos a Biologia hoje. Então se você não quer perder nada, aproveite para conferir também:

Esse e muitos outros temas, você encontra aqui mesmo no Guia do Ensino!

Exercícios resolvidos sobre teorias pré-darwinistas

UFMT – “Um pesquisador cortou as cauda de camundongos e cruzou estes animais entre si. Quando os filhotes nasceram, o pesquisador cortou-lhes as caudas e novamente cruzou-os entre si. Continuou a experiência por 20 gerações e na 21ª geração os camundongos apresentavam caudas tão longas quanto as da primeira.” Este experimento demonstrou que:

a) A hipótese de Lamarck sobre a herança dos caracteres adquiridos está correta.

b) Os caracteres adquiridos não são transmitidos à descendência.

c) A teoria mendeliana está errada.

d) Não existe evolução, pois os ratos não se modificam.

e) Este experimento não pode ter dado esse resultado, pois já a partir da 2ª geração os ratos nasceriam sem cauda.

Resposta correta: b

Essa suposição, pressupõem que os camundongos herdariam uma característica genética de seus ancestrais. Ou seja, que os caracteres adquiridos seriam transferidos pela genética, como na Teoria de Lamarck. No entanto, mesmo após a 20ª geração, a característica não foi adquirida.

Em resumo, é importante considerar que todos os estudiosos, mesmo os que baseiam suas teorias em superstições e achismos, tem um papel importante na história da evolução dos seres. Até porque, graças a essas suposições iniciais outras pessoas foram instigadas a buscar respostas.

Embora Charles Darwin tenha sido o mais importante cientista da evolução das espécies, os seus precursores foram fundamentais para o ponto de partida de suas pesquisas.

Quer saber mais sobre biologia? Então aproveite e nos siga nosssa fanpage no Facebook.

O que você achou?

Escrito por Redator Especialista em Biologia

Redator especialista em Biologia no Guia do Ensino.

Caso encontre um erro, violação de direitos autorais ou queira enviar um feedback/sugestão, utilize o e-mail: [email protected] para contato.

detalhe da floresta amazônica com as suas características climáticas

Entenda as principais características climáticas do Brasil

tela Abaporu de Tarsila do Amaral na primeira geração modernista

Entenda como foi a primeira geração modernista no Brasil